sexta-feira, julho 01, 2016

quinta-feira, junho 30, 2016


Pierdavide Carone faz hoje 28 anos

Fantasia Barrino faz hoje 32 anos

Cheryl Cole faz hoje 33 anos
Flor de lapela

Pequeno ser
Que deu prazer,
E ao cabo, num ocaso descorado,
Jaz no passeio, abandonado,
Sem mágoa e sem memória.

Não é diversa a trajectória
Das flores maiores que somos nós

Exibe-nos a Vida na lapela; a glória
Dura o que dura uma manhã de sol. Após,
Esgotada a cor, extinto o perfume,
A mão que nos colheu lança-nos fora,
Pra que nos leve a carroça do estrume
Que vem na madrugada,
Ou, se chover, nos leve a enxurrada

Flor ou bicho
Ou criatura,
Tudo é lixo
Na sepultura.


(poeta português falecido em Lourenço Marques faz hoje 57 anos)

quarta-feira, junho 29, 2016


Ana Free faz hoje 29 anos

Colin Hay faz hoje 63 anos
Canção da Verdade Jovem

A verdade cantava no escuro
No cimo da tília sobre o coração

O sol há-de amadurecer dizia
No cimo da tília sobre o coração
Se os olhos o iluminarem

Troçamos da canção
Agarrámos prendemos a verdade
Cortámos-lhe a cabeça de baixo da tília

Os olhos estavam noutro sítio
Ocupados com outra obscuridade
E nada viram


(poeta sérvio nascido faz hoje 94 anos)

Trad. Eugénio de Andrade

terça-feira, junho 28, 2016


Mark Stoermer faz hoje 39 anos

Patrícia Marx faz hoje 42 anos

Otto faz hoje 48 anos
Tarde demais

Era frio, muito frio.
Frio na tarde, frio em mim.
Olhos em pranto,
Alma em desencanto,
Parti a caminhar.
E no melancólico crepúsculo,
Ouvi uma voz que dizia:
Esqueça!

Continuei a caminhada.
Era noite, muito noite então.
Estrelas perfilavam o firmamento,
Num brilho nostálgico o solitário.
E dentro da noite vazia,
Rosto banhado em luar,
Ouvi outra voz que dizia:
Perdoa!

Prossegui a cavalgada.
E já não havia mágoa
E nem mais ressentimento.
Foi quando então o coração falou:
Volta!
Voltei.
Mas era tarde,
Muito tarde então.
Nunca mais o encontrei!


(poetisa paulista que hoje faz 84 anos)

segunda-feira, junho 27, 2016


John Entwistle faleceu faz hoje 14 anos

Drake Bell faz hoje 30 anos
O Sono das Águas

Há uma hora certa,
no meio da noite, uma hora morta,
em que a água dorme.

Todas as águas dormem:
no rio, na lagoa,
no açude, no brejão, nos olhos d’água,
nos grotões fundos
E quem ficar acordado,
na barranca, a noite inteira,
há de ouvir a cachoeira
parar a queda e o choro,
que a água foi dormir…

Águas claras, barrentas, sonolentas,
todas vão cochilar.
Dormem gotas, caudais, seivas das plantas,
fios brancos, torrentes.
O orvalho sonha
nas placas da folhagem
e adormece.
Até a água fervida,
nos copos de cabeceira dos agonizantes…

Mas nem todas dormem, nessa hora
de torpor líquido e inocente.
Muitos hão de estar vigiando,
e chorando, a noite toda,
porque a água dos olhos
nunca tem sono…

(escritor brasileiro nascido faz hoje 108 anos)

domingo, junho 26, 2016


Luiza Possi faz hoje 32 anos

Luka faz hoje 37 anos

José Barata Moura faz hoje 68 anos

Gilberto Gil faz hoje 74 anos
Epitáfio

Se eu abandonar
a morada
do meu coração
e morto permanecer
aquém das montanhas...
Nas sombras do eclipse
que descer cerrado
sobre mim
enterrem-me
oh! por favor enterrem-me
bem fundo.
E como epitáfio
à luz de dias conquistadores
sobre a minha memória
rasguem a ferida da piedade
para que sangre.


(escritor angolano que hoje faz 58 anos)